SANTOS JÁ TEVE GINÁSIO PARA DISPUTA DE PELOTA BASCA

No final do Século XIX, a cidade de Santos abrigava muitos imigrantes de origem espanhola, oriundos das mais diversas partes da nação ibérica, entre eles gente de um lugar conhecido como “País Basco” (região situada ao norte da Espanha). Donos de costumes próprios, eles praticavam um esporte bastante diferente de qualquer outra modalidade já vista: a pelota basca. Trata-se de um jogo onde uma bola é batida com a mão, uma raquete, um bastão de madeira ou uma cesta (que compõem as modalidades diferentes deste mesmo esporte) contra uma parede (chamada de frontão). Duas equipes, de duas pessoas cada, disputam a contenda, num espaço separado por uma linha no chão ou por uma rede.

Santos teve uma quadra de Pelota Basca na antiga Rua do Rosário (atual avenida João Pessoa), na esquina com a Rua da Constituição, onde existiu antes a sede do Clube Germânia. Ali, funcionou por vários anos. Ainda na década de 1920, anúncios divulgavam a programação do lugar, que ficou conhecido como “Frontão Santista”.

O esporte chegou a ser modalidade olímpica, apenas nos Jogos de 1900, em Paris (mais ou menos na época em que se começou a ser praticado em Santos), e só voltou em duas outras ocasiões, como esporte de demonstração, em 1968, no México, e em 1992, Barcelona.

A prática de Pelota Basca foi proibida no Brasil em 1941, por causa das apostas que o público fazia. Desta forma, o esporte foi suspenso na cidade e nunca mais voltou a ser praticado.

Única foto que se tem conhecimento do Frontão Santista, que ficava na Rua do Rosário, esquina com Rua da Constituição.

Única foto que se tem conhecimento do Frontão Santista, que ficava na Rua do Rosário, esquina com Rua da Constituição.

Anúncio publicado em A Tribuna em 26 de junho de 1922

Anúncio publicado em A Tribuna em 26 de junho de 1922

Planta do Frontão Santista (acervo Fams)

Planta do Frontão Santista (acervo Fams)

 

VEJA VIDEO DA MODALIDADE CESTA

VEJA MODALIDADE MÃO E RAQUETE

Deixe uma resposta