Santos foi a cidade pioneira do 1º de maio no Brasil

O 1º de Maio, Dia do Trabalhador, se originou nos Estados Unidos, em 1886, quando ocorreu uma greve geral no país, espalhada também pelo Canadá, orquestrada pelas lideranças operárias de Chicago, a cidade norte-americana mais industrial da época. A principal reivindicação dos operários era a redução da jornada de trabalho, de dez para oito horas diárias. A data ficou marcada como um dia de luta e acabou se solidificando, tornando-se feriado nacional.

Atenta ao que ocorria do outro lado do Atlântico, a Internacional Socialista, importante entidade europeia de luta operária, acabou elegendo o 1º de maio como data-símbolo para suas manifestações. Em 1891, uma enorme manifestação ocorrida no norte da França acabou vitimando dez trabalhadores no choque com a polícia, fato que reforçou ainda mais o simbolismo da data. Vinte e oito anos depois, em 1919, os franceses adotaram o 1º de maio como feriado nacional, atitude logo seguida por países como Rússia, Itália e Inglaterra.

No Brasil, o 1º de maio só veio ser declarado oficialmente como feriado em 1925.

Porém, muitos anos antes, uma agitada cidade portuária brasileira já vivia a data intensamente.

Pioneiros na luta operária – Os ecos da luta operária nos Estados Unidos e Europa chegavam até os ouvidos dos trabalhadores portuários de Santos por meio dos navios que atracavam no cais da cidade. Os santistas já sabiam o que era manifestar e fazer greve por melhores condições de trabalho desde 1877, quando carregadores de café paralisaram suas atividades por melhorias nos salários. Em 1891, ao mesmo tempo em que a Internacional Socialista batalhava no norte da França, mais de quatro mil trabalhadores das Docas (Porto de Santos), da São Paulo Railway (Estrada de Ferro), do Matadouro Municipal, do comércio, da construção civil, da Alfândega e da Mesa de Rendas, dos bancos, dos armazéns de carga e até carroceiros, cruzavam os braços, na maior manifestação trabalhista brasileira do Século XIX. Outras greves e manifestações viriam a ocorrer nos anos e décadas seguintes. Santos esteve sempre à frente nestas questões da luta trabalhista e era considerada pelos governos federais uma cidade “indomável”. Por isso, desde 1895, a cidade já vinha comemorando o 1º de maio, numa iniciativa do Centro Socialista de Santos. Foi a primeira cidade brasileira a fazê-lo, seguida pela capital nacional, o Rio de Janeiro, isso apenas em 1903.

A imagem é de uma festa, mas poderia retratar muito bem as mobilizações operárias realizadas no final do Século XIX na agitada cidade portuária de Santos.

A imagem é de uma festa, mas poderia retratar muito bem as mobilizações operárias realizadas no final do Século XIX na agitada cidade portuária de Santos.

 

Deixe uma resposta