TV Tribuna é inaugurada e fortalece a transmissão UHF em Santos

 

Chegada da TV Tribuna abriu as portas para a popularização do UHF na região

Emissora foi inaugurada em 1º de fevereiro de 1992

Até 1989, os santistas, a exemplo do que ocorria com todos os brasileiros, só tinham à disposição 13 canais de televisão, expostos numa faixa de transmissão conhecida como VHF (Very High Frequency – Frequência Muito Alta). Naqueles anos finais dos anos 1980, os televisores começaram a introduzir uma faixa extra aos 13 canais normais. Era uma faixa destinada à transmissão UHF (Ultra High Frequency – Frequência Ultra Alta), apontando um futuro de portas abertas para uma gama maior de canais e emissoras. Na Baixada Santista, o UHF era um completo desconhecido, até a chegada da TV Litoral, emissora local de propriedade do empresário Lupércio Mussi. As primeiras transmissões da TV Litoral começaram em 5 de janeiro de 1991, no canal 52 UHF.

No entanto, a programação da TV Litoral não decolou muito, em função da dificuldade da população em entender a nova mecânica da faixa UHF. A maioria absoluta das casas e apartamentos não tinha antena adaptada para a faixa, e os próprios aparelhos, em sua maioria, só dispunha de seletores que iam até o canal 13. A consequência destes elementos era que a TV Litoral não conseguiu engatar uma boa audiência.

Mas, a salvação, quem diria, viria pelas mãos de uma concorrente, a TV Tribuna.

Quando a TV Mar ganhou a concorrência pelo canal 8, ocupado até então pela Rede Globo de Televisão, a maior emissora do país, o espaço deixou de ser utilizado pela empresa de Roberto Marinho. A Globo aproveitou a vitória do Grupo A Tribuna pelo canal 18 UHF para selar uma parceria com a família Santini,  que já era proprietária do maior conglomerado de comunicação do litoral paulista. O acordo foi selado em 11 de julho de 1991, o que tornou a TV Tribuna a afiliada oficial da Rede Globo na Baixada Santista e Vale do Ribeira.

O maior problema a ser resolvido, no entanto, era a questão da faixa de transmissão. A concessão era para o canal 18 UHF, e as dificuldades prometiam ser as mesmas enfrentadas pela TV Litoral. Mas, utilizando seu poderio, a Rede Globo mobilizou um verdadeiro exército de “antenistas”, promovendo em toda a região a maior instalação de receptores de UHF já realizada no Brasil, garantindo o brilho do plim-plim nos lares santistas.

Cristina Guedes foi a primeira repórter da emissora, ao lado de Eduardo Silva e Paulo Bornsen.

Tribuna Notícias
O santista Carlos Manente, do staff da Rede Globo São Paulo (era editor do Fantástico), desceu a Serra do Mar para comandar o jornalismo local, montando uma equipe que mesclava nomes experientes, como Eduardo Silva, Cristina Guedes e Wânia Seixas, com jovens profissionais, como Jorge Gutierrez, André Rittes, Fernanda Lopes, Fábia Larsen, Sergio Willians, Paulo Bornsen, Carlos Lopes, entre outros.

A TV Tribuna foi ao ar em 1° de fevereiro de 1992.

Nos primeiros anos, a emissora não tinha horário fixo para o jornalismo em sua grade. As notícias eram exibidas em flashes nos intervalos comerciais: o “Tribuna Notícias”.
Os programas foram sendo criados à medida que a emissora foi crescendo e estruturando-se de maneira adequada. Surgiram o “Tribuna Comunidade” e o “Revista da Praia”, apresentado pela jornalista Cristina Guedes.

Dos equipamentos iniciais, todos em sistema U-Matic, a emissora passou para o Beta-Cam e montou um estúdio para a transmissão de telejornais. A estreia do primeiro telejornal aconteceu em abril de 1994, com a edição noturna do Jornal da Tribuna e, em março de 1996, o JT 1ª Edição,  transmitido na hora do almoço, com apresentação da jornalista Paula Quagliato. No mesmo ano, era criado o programa de esportes “Corpo em Ação”, comandado por Eduardo Silva.

Com o passar dos anos, dezenas de profissionais passaram pela TV. Alguns ficaram e se tornaram patrimônios da emissora, como Tony Lammers, Melissa Paiva, Rosana Valle, Vanessa Faro, entre outros. Da velha guarda, Eduardo Silva, se tornou diretor de jornalismo em 2005. A grade também se tornou mais maleável com o tempo, permitindo o surgimento de programas locais de maior duração e temáticos, como o Rota do Sol e o Viver Bem. Em 3 de dezembro de 2007, voltava ao ar o boletim Tribuna Notícias, com duração de três minutos a partir das 8 horas.

Era Digital
A TV Tribuna foi a primeira emissora da região a entrar na era digital, muito antes do prazo estipulado pelo Governo Federal. No dia 30 de março de 2009, Santos se tornou a terceira cidade do país, não capital, a disponibilizar o sinal.

Jornal da Tribuna

O JT 1ª Edição, transmitido na hora do almoço, com apresentação da jornalista Paula Quagliato, foi ao ar pela primeira vez em março de 1996.

O Programa Corpo em Ação também foi ao ar em sua estreia no mês de março de 1996.

O Programa Corpo em Ação também foi ao ar em sua estreia no mês de março de 1996, com apresentação de Eduardo Silva, que se tornou diretor de jornalismo da emissora em 2005.

O Jornal da Tribuna 2ª Edição

O Jornal da Tribuna 2ª Edição, primeiro da emissora, surgiu em 1994, com a apresentadora Renata Canales. Aqui na imagem o programa na condução do jornalista Paulo Ramos.

Cristina Guedes e uma das primeiras viaturas da emissora, em 1992.

Cristina Guedes e uma das primeiras viaturas da emissora, em 1992. Telejornalismo chegou rapidamente a toda a Baixada Santista.

Este blogueiro, em 1992, na redação da TV Tribuna, integrante da primeira equipe de telejornalismo da emissora.

Este blogueiro, em 1992, na redação da TV Tribuna, integrante da primeira equipe de telejornalismo da emissora.

 

Deixe uma resposta