PRAÇA DOS ANDRADAS, O PRIMEIRO JARDIM PÚBLICO DE SANTOS

O ano era 1865. Faltava bem pouco para a conclusão da “interminável” obra da nova Casa de Câmara e Cadeia, iniciada 30 anos antes sobre o antigo Campo de São Jerônimo, ou Campo da Chácara (porque lá existia a chácara de Antônio José Viana, um conhecido professor de gramática latina). Para dar um toque especial ao entorno do espaço que viria a se tornar o centro do poder municipal santista, o então presidente da Câmara, Antonio Ferreira da Silva, o Visconde do Embaré, mandou promover algumas melhorias no que já vinha sendo chamado de Largo da Cadeia Nova e, a partir das benfeitorias, de Praça do Andrada, esta em homenagem à família de José Bonifácio de Andrada e Silva, o patriarca da Independência do Brasil. Com o passar dos anos, a população santista rebatizou naturalmente o lugar como Praça dos Andradas.

Também ao longo dos anos, o Largo da Cadeia Nova foi ostentando ares mais bucólicos, em especial após a introdução de enormes árvores frutíferas no local. Em 1879, a Câmara abriu alamedas pavimentadas em torno do imenso jardim que se formara sobre o antigo pasto de cavalos e muares (burros e mulas). No ano seguinte, 1880, foi construído um banheiro público e instaladas torneiras e bebedouros com água potável. Dois anos depois era inaugurado o jardim público, com grades em volta.

Em 1887, a Praça dos Andradas já havia se tornado, definitivamente, num agradável espaço público ajardinado, com direito, inclusive, a um pequeno lago formado pelo riacho São Jerônimo, além de pontes, cascatas, viveiros de pássaros e bancos de repouso, onde as famílias santistas passavam suas tardes promovendo alegres piqueniques, tirando retratos de recordação com fotógrafos lambe-lambe ou assistindo os animados espetáculos protagonizados pela Banda Musical do Corpo de Bombeiros, que se apresentava todos os finais de semana num alegre coreto erguido no centro do jardim.

A Praça dos Andradas, assim, se tornou em uma das atrações de Santos. De dia e de noite. Foi um dos primeiros lugares iluminados com lampiões a gás e, assim, se tornava também num espaço ideal para os romances mais apaixonados.

 

Jardim Público da Praça dos Andradas, com direito a lago e bela paisagem.

Jardim Público da Praça dos Andradas, com direito a lago e bela paisagem.

 

Praça dos Andradas no início do século XX

Praça dos Andradas no início do século XX

Deixe uma resposta