Santos recebe figuras de “peso” na Convenção Nacional de Reis Momos

Santos sediou a 1º Convenção Nacional de Reis Momos, pioneira e excêntrica!

Nos anos 1960, o Carnaval Santista já era considerado o segundo mais importante do Brasil, ficando atrás somente da folia carioca. A cidade de Santos era conhecida e chamada pela imprensa de “A Capital do Carnaval Paulista”, afamada pelos seus bailes, desfiles de blocos, da patuscada “Dona Doroteia, Vamos Furar Aquela Onda?” e pelo reinado de Waldemar Esteves da Cunha, que naquele início de década completava 10 anos de soberania, na pele do Rei Momo Oficial do Carnaval Santista.

E foi por conta deste reinado exemplar que Santos se prontificou a promover um evento até então inédito no país: a “Convenção Nacional de Reis Momos”. A ideia partiu do jornalista e memorialista do Carnaval de Santos, Bandeira Júnior, que também era membro do Conselho Municipal de Turismo. Ele desenvolveu a programação e montou todo o esquema para trazer a Santos os Reis Momos eleitos nas principais cidades do Brasil. Aqui, a turma “de peso” poderia trocar ideias e experiências, com o objetivo de chamar a atenção da mídia nacional, a fim de valoriza a figura simbólica da principal festa popular brasileira.

A fim de minimizar os gastos do transporte dos inúmeros convidados, Bandeira obteve o apoio de uma companhia aérea, a Cruzeiro do Sul, que cedeu, gentilmente, as passagens aéreas aos Reis Momos, como Abraão Abdalla Haddad, representante do Estado da Guanabara; Octávio Martins Belmonte, do Estado de Minas Gerais; Nilton Ferreira da Silva, da Bahia; José Taranto, do Rio de Janeiro; Vicente Rao, do Rio Grande do Sul e Haroldo Rego, do Maranhão. Vieram ao Congresso também, mas de carro, os Reis Momos de São Paulo, Salvador Militelo; de São Vicente, Eurico Ferrão, além do anfitrião, o santista Waldemar Esteves da Cunha.

O evento ficou marcado para os dias 14 e 15 de fevereiro de 1963. As majestades carnavalescas ficaram hospedadas no Palace Hotel, no José Menino (no local onde hoje está o Edifício Universo Palace), local onde, aliás, realizaram a Sessão Plenária. Durante os dois dias do inusitado evento, os Momos visitaram o prefeito de Santos, José Gomes, e vários pontos turísticos da cidade. Santos ficou lotada de jornalistas de todos os cantos do país, curiosos diante dos desfiles de tanta gente robusta.

O sucesso foi estrondoso. Tanto que a cidade santista voltaria a sediar o evento em fevereiro de 1966, com a presença dos mesmos Momos da primeira convenção e mais os Momos do Pará, Mário Alberto P Ciua; da Paraíba, Francisco Tomás Neto e do Rio Grande do Norte, Paulo Maux.

Os Momos ficaram hospedados no Palace Hotel, do José Menino. Aqui, em foto na varanda do hotel.

Os Momos ficaram hospedados no Palace Hotel, do José Menino. Aqui, em foto na varanda do hotel.

O encontro de Reis Momos parou a cidade, curiosa com uma Convenção tão inusitada.

O encontro de Reis Momos parou a cidade, curiosa com uma Convenção tão inusitada.

 

One Comment

on “Santos recebe figuras de “peso” na Convenção Nacional de Reis Momos
One Comment on “Santos recebe figuras de “peso” na Convenção Nacional de Reis Momos

Deixe uma resposta